Botequim Socialista

Botequim Socialista: reunião de companheiros e companheiras que menosprezam as dietas recomendadas pelo Panfleto Semanal e aderem ao chopp e aos petiscos engordativos. Somos contra a dieta cerebral.

terça-feira, novembro 14, 2006

Glossário do Botequim - Primeira Parte

Botequim Socialista

O Botequim Socialista, comunidade do Orkut que reúne o crème de la crème da nata da elite intelectual-etílica daquele mundilho virtual desenvolveu uma linguagem própria, cifrada, a fim de proteger-se de eventuais intromissões do lado negro da força. Eis aqui compiladas algumas contribuições lingüísticas daquele tão peculiar antro de pilantragem sinistróide:

Adib: Nosso mestre, guia dos povos e farol do socialismo, moderador da comunidade. "Deus, leitor de Caras, perro, gilipollas, cuerno, y doble hijo de puta". (Tiago Thuin)
"Grande Timoneiro, Timoneiro, Guia Genial, Farol da Revolução, Premier, Quarto Clássico (Marx, Engels, Lênin e Adib)" (Artur Pimentel)

Alfredês: linguagem característica de Alfredo, vulgo Fredón, vulgo Alphonse van Worden, reencarnação do revolucionário jacobino Saint Just, "nobre do setecentos em cruzada pró-fundamentalista. Tipo um Dom Sebastião que se converteu no Alcácer-Quibir" (Tiago Thuin). Trata-se de um vocabulário de matriz lusitana quinhentista, animadamente verborrágico. São usuais nesta linguagem expressões como "petralha", "súcia reaccionária", entre outras. Insiste em referir-se ao Exmo. Sr. Presidente da República como "Mulla".

Chuchuzete - Leitor da Veja, adorador do Arnaldo Jabor e típico eleitor de classe média, apoiador do Picolé de Chuchu nas eleições presidenciais de 2006. Fonte inesgotável de Trolls*. Espécie recentemente ameaçada de extinção. Tendem a virar Olavetes*, Liberais Caricatos* ou simplesmente "voltar ao normal", ou seja, assumir a forma de alienado inofensivo, sob a qual esta espécie costuma vivenciar sua experiência de vida biológica a nível de ser humano.

Cocozinho: Frequentador da comunidade em geral. Comunistas. Forma carinhosa com a qual o Upa-Guru* se refere aos participantes da súcia esquerdista.

Conspiração Satano-Gayzista-Gramsciana: Negócio em que estamos todos metidos, da LBI à Fundação Ford. Plano de dominação mundial que consiste em aplicar a estratégia das tesouras* a fim de provocar uma revolução comunista internacional sem que ninguém perceba, exceto o Upaguru*. Trata-se de um vínculo insofismável entre comunismo, liberação de costumes, liberação do fiofó, abortismo e satanismo, a fim de acabar com os valores éticos da civilização judaico-cristã. Tem no FORO* sua representação institucional mais evidente.

E É, E É - Expressão proferida pelo Upa-Guru* Olavo de Carvalho num debate com um professor universitário, Alaôr Caffé Alves, "que provavelmente não sabia com quem iria debater e ficou espantado com as maluquices que o Olavo dizia. Ele falou algo assim: "pelo que o sr. está dizendo, até parece que a esquerda é a responsável pela situação atual do país". E o Olavo: "E é! E é!" (Marcus). Usa-se a expressão sempre que se quer encerrar o assunto, depois de alguma asneira irretocável advinda da direita.

Estratégia das Tesouras: "Segundo Olavo de Carvalho não existe direita no Brasil, apenas variação da esquerda e inocentes úteis, o PT é esquerda e o PSDB também, e o PFL é o inocente útil" (Yuri). Forma olaviana de double-blinded, usada na comunidade como sinônimo do que era conhecido como "estratégia diversionista" pela esquerda "crássica" dos anos 70.

FORO (de São Paulo) - "Organização ultra-secreta para a dominação mundial do comunismo via América Latina, sistematicamente ocultada pela mídia esquerdista" (Adib), de recorrente aparição em artigos olavianos. Sempre e invariavelmente deve ser escrita em vermelho e em negrito. Na linguagem da comunidade, refere-se aos nossos planos de dominação mundial. Trata-se do lado institucional da conspiração satano-gayzista-comunista*.
Curiosamente, trata-se da única organização ultra-secreta com página na internet.

Gilsês: "língua franca do futuro estado mundial socialista. Baseada no modo um tanto apressado de digitar do colega Gilson, que a sve zesd eix aa ba rrade espaçof orad oluga". (Tiago Thuin)

Liberal Caricato - "Qualquer liberal que poste no Orkut que não seja o Jean, Sidney, Edivar, Reginaldo, Décio e Roberto (...). Pessoas que dizem que liberalismo é não ter código de trânsito (que o volante invisível do mercado regula tudo), que os tubarões estão ameaçados de extinção pq não têm proprietário (ao contrário das vacas), vivem com medo do FORO DE SÃO PAULO* e inventam neologismos curiosos como "hordas coletivas". Se porra-louca de esquerda já é difícil de aturar, tentem imaginar um porra-louca de direita". (Adib)
Há uma comunidade "Liberais Caricatos", irmã da nossa, a eles dedicada, administrada pelo companheiro Rogério.

Merda Sem Mosca - "verdadeiro nome do site de humor Mídia Sem Máscara, conhecido também como Asilo Arkhan Reacionário". (Adib)

Olavetes - fãs do incomensurável Upaguru. Alguns vem e vão frequentemente na comunidade. Enquanto não trollam (ver verbete Troll*), são bem tolerados. O problema é que dificilmente resistem.

Para-oficial - Comunidade do Olavo de Carvalho. Maior antro de liberais caricatos* do Orkut. Chama-se para-oficial porque a oficial, frequentada pelo próprio Upaguru*, é a comunidade "Olavo de Carvalho nos Odeia".

SHEMHAMFORASH: Corretamente sempre grafada em vermelho e negrito, bem como a palavra FORO*. Segundo Adib, trata-se de uma "palavra ritual citada no Merda Sem Mosca* em (mais um) artigo sobre o satanismo em Karl Marx, influenciado pelo colaborador satanista Moses Hess". Saudação satânica que foi adotada pelos integrantes da comunidade para encerrar qualquer post relativo às investidas reacionárias contra a conspiração satano-gayzista-gramsciana*. Conforme o Roberto, "não é para entender, é para decorar. Marx, o Príncipe das Trevas, fará o resto". Pronuncia-se... bem, NÃO se pronuncia!!!

Troll: "Babaca que curte encher o saco". Simples assim. Definição do Gilson, de ímpar sinteticidade.

Upaguru: "É o próprio Olavo de Carvalho, que certa vez, quando chamado de guru teve um surto de modéstia e dise que era apenas um upaguru aquele que, faltando um guru de verdade, assume esta responsabilidade" (Yuri). Variação = upa-guru.

Nota - este é um glossário COMPARTILHADO pela comunidade "Olavo de Carvalho nos Odeia". Há pequenas nuances linguísticas, mas basicamente os falantes e os códigos são os mesmos.

2 Comments:

  • At 12:37 PM, Blogger STBAR said…

    Ô muleque, quem paga tuas contas é um porco capitalista, não é? Ou teu dimdim veio do partido, esse que tu queres entrar mas que não te deixam por seres um burguesinho de merda?
    Hahahaha

     
  • At 11:06 AM, Blogger Daniel Magérbio said…

    hahahahahaha Tinha que entrar uma olavete babaca que ficou todo putinho por ser tão bem retratado como esse Stabar

     

Postar um comentário

<< Home